segunda-feira, maio 16, 2011

Noite e dia dos museus - 2011


Na próxima quarta - feira dia 18 de Maio celebra-se o Dia Internacional dos Museus.
Como habitualmente neste dia os museus (e monumentos) nacionais, encontram-se abertos até mais tarde e com entrada livre, tendo também durante o dia inúmeras acções e eventos relacionados com os museus e a sua temática.
Apesar de o Dia Internacional dos Museus ser só no dia 18, este fim de semana passado, mais propriamente no sábado dia 14, houve a noite dos museus, em que os mesmos estiveram abertos até à meia-noite, com entrada livre e também com diversas actividades.
Aproveitando este facto, então no sábado à noite eu e um grupo de amigos decidimos ir ao fabuloso Museu Nacional de Arte Antiga.
O Museu Nacional de Arte Antiga, para além de ser um dos melhores museus nacionais a nível de espólio, tem também a felicidade de estar num sítio fenomenal de Lisboa e com uns jardins lindos e aprazíveis.
Como atrás referi, houve diversas actividades no museu, infelizmente por motivos vários (atrasos de terceiros, difícil estacionamento em Lisboa) só cheguei ao museu depois das 22 horas perdendo o concerto dos Pequenos Violinos da Orquestra Metropolitana de Lisboa nos jardins do Museu, mas chegamos a tempo da inauguração da exposição “M & M. MNAA & MUDE / MUDE & MNAA. Artes e Design”, uma colaboração entre o M.N. A. A. e o MUDE, Museu do Design, que integra peças de design contemporâneo com as peças de arte antiga, mas integrando-se e fundindo-se umas nas outras sem causar atrito e ao mesmo tempo provocando uma agradável visão a arte moderna misturada com a arte antiga.
Para além disso, há as intemporais peças de arte antiga tanto na pintura com destaque para as pinturas dos mestres da escola holandesa e flamenga (os meus preferidos) do séc. XV e XVI, como na arte Nambam com os seus famosos biombos, a joelharia e principalmente as obras dos grandes mestres portugueses, cujo expoente máximo são os Painéis de São Vincente do mestre Nuno Gonçalves, que sempre que os vejo me deixam "siderado".
Após a visita ao museu, que toda a gente adorou, principalmente quem nunca lá tinha ido, descemos a rua das Janelas Verdes até Santos onde tinhamos os carros estacionados, falo neste pormenor porquê?
No grupo de amigos que ia comigo, um deles já tinha trabalhado no Hotel das Janelas Verdes, na respectiva Rua das Janelas Verdes e levou-nos a visitar esse hotel, que não é nem mais nem menos que o palacete que serviu de inspiração ao Eça de Queiroz para idealizar o famoso "Ramalhete" dos Maias.
O Hotel, é um palacete do séc. XVIII, com um fabuloso jardim interior e uma sala de estar/biblioteca no terceiro piso com uma varanda com uma vista fabulosa para o Tejo e margem sul.
Após a visita ao Hotel das Janelas Verdes, ainda paramos na AV. 24 de Julho, na Merendeira para comermos um pão com chouriço e um Caldo Verde.
Foi uma noite bem passada, um programa cultural engraçado e diferente.
A quem não pode ir no passado sábado à noite dos museus, aproveite e vá na quarta - feira ao dia dos museus que vale bem a pena.
Fiquem bem
Pipas

1 comentário:

miGuel pesTana disse...

Ola Nuno.

Esse museu deve ser esplêndido!

No sábado fui tb á noite dos museus cá na ilha, e estive no Museu Quinta das Cruzes.

Esta Quarta foi aproveitar e revisitar mais alguns museus.É tão bom viajarmos ao passado!!!!

Quando estiveste cá na Madeira visitaste algum Museu?
Eu conheço todos cá.

Abraç