sexta-feira, maio 09, 2008

Hipocrisia VS Verdade




Boa tarde amigos(as), tal como prometido cá estou eu de volta.
Hoje venho falar-vos de um acontecimento que marcou esta semana, falo das declarações de Bob Geldof sobre Angola.
Na terça feira passada, o BES, Banco Espírito Santo, promoveu juntamente com o semanário Expresso, uma conferência sobre o Desenvolvimento Sustentável, tema que o BES, tem vindo a promover e cujas acções já referi neste blog anteriormente.
Para esta conferência, foi convidado o músico e activista Bob Geldof, conhecido pelas organizações dos concertos "Live Aid" nos anos 80 e pelo "Live Eight" em 2005, cuja missão foi a recolha de fundos para combater a fome nos países de África.
Bob Geldof, perante uma sala cheia de altas personalidades, entre elas embaixadores de vários países da Europa e de África, após ter falado sobre as ligações históricas de Portugal com África e o seu papel com essas nações, começa a falar sobre Angola e é aí que ele "parte a loiça toda", ao dizer: "Angola é gerida por criminosos"; "As casas mais ricas do mundo do mundo estão [a ser construídas] na baía de Luanda, são mais caras do que em Chelsea e Park Lane", apontou, estabelecendo como comparação estes dois bairros luxuosos da capital inglesa.
"Angola tem potencial para ser um dos países mais ricos do mundo", frisou Geldof, considerando que aquele país africano tem, designadamente, potencial para "influenciar as decisões da China".

Ou seja Bob Geldof teve a coragem de dizer alto e em bom som, tudo aquilo que toda a gente sabe e não tem coragem de dizer!
Eu concordo inteiramente com ele, não é necessário ser-se muito entendido em economia mundial para se perceber isso, basta ver, um país riquíssimo como Angola, cheio de recursos naturais tais como: petróleo, diamantes, florestas, etc. capaz de produzir uma riqueza ímpar, que está na miséria e onde apenas uma ínfima percentagem da população usufrui dos rendimentos produzidos por essas mesmas riquezas, país onde também o seu Presidente da República (que ocupa esse cargo há dezenas de anos, sem dar sinal de passagem a outro como deveria de ser num país dito democrata como é Angola), é uma das pessoas mais ricas de África e do mundo, em que as principais e maiores empresas são geridas pelos seus filhos e familiares, criando assim uma oligarquia, cheia de tráfico de influências e corrupção.

Para além disto tudo, custa-me também a hipocrisia, neste caso a do BES, que tanto "apregoa" esse mesmo "desenvolvimento sustentável" e que logo de seguida, desmarca-se das declarações de Geldof, visto o Grupo Espírito Santo, ser um dos maiores investidores portugueses em Angola, com medo das retaliações que daí poderiam advir, caso concordasse ou apoiasse essas mesmas declarações .

É triste vivermos num mundo de hipocrisias, onde a linguagem dos negócios, fala mais alto que a verdade e que a dignidade dos Homens, mas ainda bem que existem pessoas como Geldof que "os tem no sítio" e não teve medo de dizer essas verdades.

Fiquem bem
Pipas

6 comentários:

arco-íris negro disse...

Bem vindo ao mundo que temos e que vamos deixar aos próximos...

O povo português é do mais hipócrita e político que há...temos essa manha já mto bem adquirida...

Bem haja aos tomates do Geldof...

Sofie disse...

Caro Pipas... ainda bem que já resolveste o teu "net problem" :)
Quanto ao tema que lançaste... concordo a 100% com as declarações de Geldof... Finalmente alguém teve a coragem de dizer o que a maioria quer e que não têm "tomates diplomáticos" para o dizer... Num país onde prolifera a miséria e a fome, existe um presidente que vai de avião a Paris fazer compras... É lamentável...
Parabéns Geldof - este nome faz-me sempre lembrar o Gandalf do Lord of the Rings... :)

Joquinha

aespumadosdias disse...

Infelizmente é o mundo que temos. Não há volta a dar. Uma andorinha não faz a Primavera.

Angiestrumpf disse...

Há que não esquecer que o Senhor Geldof foi das pessoas que mais fez por África: "Live AID" e "Live 8"... se foram mal utilizados... a culpa não foi dele. A vontade dele é genuína e o empenho também. Ele sim, pode em primeira pessoa falar abertamente dos seus sentimentos pelo que se vive em África. Sabe com toda a certeza que os fundos que conseguiu foram... "mal utilizados"!

Paracletus disse...

O que Geldof disse não é novidade para ninguém, pois há muito que a comunidade internacional está a par das vicissitudes do regime cleptocrático que governa Angola.
A política internacional está dominada pelos interesses económicos, por isso África será sempre África enquanto houver cumplicidade dos países ricos que beneficiam desse estado de coisas.

CatarinaGarcia disse...

eu acho q a maioria das pessoas tem tomates pra dizer, n têm é a oportunidade de o dizer numa conferencia onde se paga mais de 200 eur para poder assistir.