domingo, maio 04, 2008

Rimbaud

Olá amigos(as), hoje é uma "rapidinha", só para dizer que não vos deixo nada, depois de Baudelaire, aqui fica um poema de Rimbaud, dois poetas que foram contemporâneos, amigos e não só...

Abraços e beijos a todos(as)

Elle est retrouvée!
Quoi? L' éternité.
C est la mar mêlée
Au soleil

Mon âme éternelle,
Observe ton voeu
Malgré la nuit seule
Et le jour en feu.

Donc tu te dégages
Des humains suffrages,
Des communs élans!
Tu voles selon...

— Jamais l' ésperance.
Pas d' oríetur.
Science et patience,
Le suplice est sur.

Plus de lendemain,
Braises de satin,
Votre ardeur
C' ést le devoir.

Elle est retrouvée!
— Quoi? — L' éternité.
C' est la mer mêlée
Au soleil.


Ela foi encontrada!
Quem? A eternidade.
É o mar misturado
Ao sol.

Minha alma imortal,
Cumpre a tua jura
Seja o sol estival
Ou a noite pura.

Pois tu me libertas
Das humanas quimeras,
Dos anseios vãos!
Tu voas então...

— Jamais a esperança.
Sem movimento.
Ciência e paciência,
O suplício é lento.

Que venha a manhã,
Com brasas de satã,
O dever
É vosso ardor.

Ela foi encontrada!
Quem? A eternidade.
É o mar misturado
Ao sol.

3 comentários:

Paracletus disse...

Não conhecia este poema de Rimbaud. É muito expressivo, gostei imenso.

Marco Miranda disse...

Sem Duvida Um belíssimo Poema, Então que tens feito?

Quero aproveitar para te mandar um Abraço!!!

Um Abraço...

arco-íris negro disse...

sempre o teu bom gosto...