sábado, janeiro 19, 2008

Incompetência, burocracia e o jogo do empurra.

Amigos, boa noite. Como puderam ler no meu último post, o meu irmão teve um acidente de trabalho, no qual infelizmente sofreu várias fracturas na bacia e no fémur direito.
Foi hospitalizado primeiramente no hospital S. José, que tem a unidade específica para este tipo de traumatismos e aí foi assistido, fez os exames e o TAC para saber o que tinha realmente acontecido. Depois de assistido e indentificados os traumatismos foi transferido para o hospital da área de residência que é o Hospital Fernanda Fonseca vulgo Amadora - Sintra. A partir daí as coisas começaram a correr um pouco mal, passo a explicar:
Após a transferência do hospital de S. José para o Amadora - Sintra, o meu irmão é colocado nas urgências, numa maca e aí fica durante dois dias!! E agora, pergunto eu, como é possível uma pessoa com várias fracturas numa área tão sensível do corpo, ser deixado assim numa maca nas urgências durante dois dias?? É fácil... Neste país onde a incompetência e a burocracia impera, a vida e a saúde das pessoas nada importa. A empresa do meu irmão, após o acidente, como seu dever e obrigação, fez a participação do acidente à seguradora para avançar com o processo e tratamento do meu irmão, mas nada acontecia e o desgraçado continuava numa maca nas urgências do hospital, achando isto muito estranho, eu e o meu pai tivemos de puxar pelos conhecimentos e influencias e conseguimos saber que a participação do acidente do meu irmão passado um dia!!! ainda não tinha sido registada e na seguradora nada tinham feito. Para além disso o hospital Amadora - Sintra que ao receber o meu irmão devia de ter enviado um relatório sobre a situação clínica do meu irmão, para a seguradora, para a mesma providenciar ou o tratamento imediato no hospital ou a transferência para outro onde tem o acordo para os tratamentos. É vergonhoso, como é que tanto uma seguradora, como um hospital se estão a "cagar" para a vida e sofrimento de uma pessoa, vergonhoso também é uma seguradora que recebe as participações e não lhes "passa cartão", deixando uma pessoa "esquecida" numa maca no hospital e que só através de conhecimentos e influências se consegue resolver as coisas. Infelizmente, este caso não é pontual e muitos mais como este se passam neste país e penso como será para as pessoas que não têm conhecimentos e que têm de se sujeitar à incompetência e às vontades das seguradoras e hospitais, que se importam mais com dinheiro do que com a vida.
Passado tudo isto, o meu irmão já foi transferido para outro hospital, está num quarto confortável e com acompanhamento médico em condições e deve de ser operado durante a semana que vem, depois será uma recuperação lenta, mas tudo irá correr bem.
Abraços
Pipas

4 comentários:

Guarda-Nocturno disse...

Um grande abraço para vocês e as rapidas melhoras para o teu irmao!!!

Paracletus disse...

Infelizmente é o país que temos!
O nosso Sistema Nacional de Saúde está a ficar depauperado e cada vez mais dependente do sector privado para poder dar vazão ao crescente número de utentes que a ele recorrem.
As seguradoras são um logro completo, pois gostam de se descartar das responsabilidades, assegurando apenas o que lhes dá menos custos. Enfim, é assim que funciona o sistema capitalista...
Faço votos para que o teu irmão se restabeleça o mais depressa possível e possa fazer a sua vida normalmente.

Anónimo disse...

as melhoras para o teu irmão...
um abraço meu amigo
MATOS

arco-íris negro disse...

mas que linda história,pena é que é verdade...
deixa, ao menos fizeram-lhe o tac, eu tive de fazer o meu no privado porque o hospital não me o fez depois de ter batido com a cabeça no cimento até perder os sentidos e ter amnésia...

enfim, acho que faz parte da identidade cultural de ser português termos más histórias do SNS...