segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Famílias homoparentais?

Boa noite meus amigos(as), após esta minha pequena ausência, cá estou eu de volta, para retomar os meus posts.
Hoje, ao ler o jornal que habitualmente leio, o "Público", deparo com um artigo de 3 páginas no caderno P2, cujo tema me chamou a atenção, por ser um tema social que cada vez está mais em foco na sociedade de hoje, que é a questão das famílias homoparentais.
Nos dias de hoje, com a liberdade e abertura nas mentalidades, cada vez mais os homossexuais, tanto masculinos como femininos, se estão a assumir e a fazerem vida em conjunto, tal como os casais heterossexuais, com isso, muitos colocam a questão e a vontade de ter e criar filhos. Infelizmente, essa é uma questão onde ainda não existe consenso e os que já os têm, ou são fruto de relações heterossexuais anteriores ou são adoptadas, mas continuam a deparar-se com dificuldades sociais e certas complicações burocráticas complicadas, porque não existe legislação em Portugal para gerir estas situações. No artigo, são apresentados vários casos de casais homossexuais, que para adoptarem uma criança tiveram de a adoptar como pessoa singular, ou então, o caso de casais homossexuais femininos, que tiveram de utilizar a técnica da inseminação artificial caseira e ilegal, com recurso a amigos para puderem ter os filhos. Fala-se também de situações do dia a dia que para os pais heterossexuais são coisas simples, mas que para os homosexxuais não, como ter de dar autorização escrita para o companheiro(a) ir buscar o filho à escola, ou assistir ao parto da companheira, por exemplo.
A questão psicológica e educacional das crianças também é abordada, com os depoimentos de vários especialistas que dizem que não há nenhum estudo que diga que por uma criança viver com um casal homossexual, ela também se torne no mesmo.
A minha opinião sobre este assunto é que sim, os casais homossexuais têm o direito de ter e criar filhos , porque têm as mesmas faculdades intelectuais, sociais e o amor que os pais heterossexuais têm aos deles, ou talvez até mais, e os nossos legisladores deviam de pôr os olhos aqui ao lado em Espanha, onde a legislação permite os casamentos homossexuais e a respectiva constituição de família, contribuindo com isso a um maior respeito pelos direitos do Homem, coisa que actualmente ainda não é feita em Portugal.

Hoje mais uma vez a Greenpeace fez mais "uma das dela", ao conseguir entrar no aeroporto de Heathrow, iludir a segurança e colocar umas faixas nos aviões a alertar sobre os perigos das alterações climáticas.
Sem surpresa Raúl Castro é o sucessor do irmão na presidência de Cuba.
Por hoje é tudo, fiquem bem.
Pipas

3 comentários:

Brown Eyes disse...

Olá Pipas
Estou completamente de acordo com o que comentas. Não tenho nada contra as denominadas "famílias homoparentais" pois não acho que sejam uma condição sine qua non para gerar crianças com comportamentos disfuncionais. Tal como as famílias monoparentais não as gerarão. A questão fulcral prende-se com as referências, os valores e os princípios que são transmitidos e que dependem sem dúvida nenhuma com a educação e os processos de socialização. Se uma dessas coisas falha o resultado pode ser desastroso.
Agora porque não poderão os homossexuais casar-se, educar uma criança...têm tantas ou mais capacidades como os hetero; sem dúvida que as têm.
Mas o caminho a percorrer é longo.

Fica bem
BE

Paracletus disse...

Concordo contigo.
De facto é necessário que se estenda o direito de adopção aos casais homossexuais, pois é uma questão de justiça.
Portugal, bem como o resto do mundo, ainda não aceita a existência da homossexualidade como algo natural, devido a preconceitos oriundos da doutrina judaico-cristã.
Quando se começar a encarar a homossexualidade como uma realidade normal, será possível estender-se outros direitos, como o casamento e a adopção, aos que têm essa orientação sexual.
Infelizmente as doutrinas judaico-cristãs vêem o sexo apenas em função da reprodução, por isso estão alheadas da realidade contemporânea, a qual, devido ao progresso científico e tecnológico, alterou por completo as relações humanas.
A consciência social da Humanidade ainda demorará a amadurecer no que respeita à homossexualidade, pelo menos enquanto o complexo de culpa judaico-cristão se mantiver no Inconsciente colectivo...

arco-íris negro disse...

Se a homossexualidade fosse "contagiosa" não existiriam homossexuais porque são filhos de heterossexuais, certo? E quanto a essas falsas teorias dos modelos de pai e de mãe...o modelo masculino e feminino...Então teriamos também de proibir as famílias monoparentais?
Todas as barreiras que nós temos a este respeito são de moral e falso pudor. Já lá vai o tempo em que Portugal era pioneiro em campos legislativos... Hoje em dia, fazemos uma súmula do trabalho europeu e espetamo-lo na nossa lei... Daí catastrofes como o Processo de Bolonha...
Mas isto, são outras conversas...outros disparates...